04/11/2020

Profissionais da Enfermagem cobram redução da carga horária de trabalho

A pandemia do novo coronavírus colocou em destaque algumas situações

A pandemia do novo coronavírus colocou em destaque algumas situações vividas pelos trabalhadores de saúde no dia a dia. No caso dos profissionais de Enfermagem, ganhou reforço uma reivindicação antiga da categoria sobre o limite máximo de 30 horas semanais e 6 dias da semana de trabalho nos estabelecimentos de saúde.

O Chefe da Divisão de Fiscalização do Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (Coren/PI) Arthur Antunes explica a importância da redução da carga horária de trabalho desses profissionais. “Os profissionais de Enfermagem são os trabalhadores de saúde que ficam mais tempo próximo dos pacientes, uma vez que todos os outros profissionais realizam algum procedimento, consulta, intervenção e seguem as suas rotinas normalmente. Enquanto isso, a equipe de Enfermagem fica diuturnamente garantindo a assistência necessária. Durante o exercício da profissão de Enfermagem há um desgaste físico e mental, enorme constatados durante as ações do Coren-PI, diante desse cenário a carga horária de 30 horas semanais são fundamentais para o profissional e aos pacientes atendidos”, disse.

Vale lembrar que foi aprovado no Senado Federal e nas comissões permanentes da Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 2.295/2000, que trata sobre a jornada de trabalho de enfermeiros, técnicos e auxiliares de Enfermagem. O PL está pronto para ser votado em plenário.

“Através das atividades da Divisão de Fiscalização do Coren-PI, constatou-se que há muitos Profissionais de Enfermagem que adquiriram diversas doenças devido ao trabalho com cargas horários exaustivas e acumulando 2 ou três empregos, resultando em prejuízo no desempenho das atividades profissionais. Diante desse cenário de desgastes, é fundamental que a categoria tenha garantida essa carga horária de trabalho de 30h semanais para que possa fornecer uma assistência de qualidade e segura”, pontuou.

A presidente do Coren-PI Amanda Barreto destaca a necessidade das 30 horas semanais para que a categoria possa desenvolver da melhor forma suas atividades. “A Enfermagem hoje é uma das profissões em que mais temos desgaste físico e mental, além de ser o maior corpo profissional da saúde. Naturalmente o excesso de trabalho pode ocasionar inúmeros problemas para a classe e consequentemente afetar de forma significativa a qualidade dos atendimentos. Por isso precisamos garantir que a classe tenha o limite máximo de cargo horário de 30 horas semanais, visando atender de forma plena as necessidades dos pacientes”, destacou a presidente Amanda Barreto.

 




  • BannerLateralSaudeEvidencias-207x114
  • e-dimensionamento-207x117