10/07/2020

Cuidados com as gestantes devem ser intensificados durante a pandemia

Incluídas no grupo de risco para novo coronavírus, as gestantes

Incluídas no grupo de risco para novo coronavírus, as gestantes precisam redobrar os cuidados para evitar a contaminação pela doença. Apesar de não haver ainda a comprovação de que elas sejam mais vulneráveis à Covid-19, o Ministério da Saúde recomenda maior atenção, uma vez que, gestantes também estão no grupo de risco para outras doenças gripais, como a H1N1.

Durante este período de pandemia, a quantidade de consultas e exames realizados no pré-natal permanece a mesmo. No entanto, o ideal é que estes atendimentos sejam realizados por agendamento, com horário fixo e a cada 40 minutos. Dessa forma, é possível evitar a aglomeração de pacientes nos consultórios. Os estabelecimentos de saúde devem se organizar também para que a assistência seja otimizada, possibilitando, por exemplo, a oferta de serviços como consultas, exames e vacinação em um único dia, para evitar que as gestantes precisem sair de casa várias vezes para realizar estes procedimentos.

Amanda Barreto, presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (Coren-PI), chama a atenção para os procedimentos de triagem que devem ser feitos pelos hospitais, estabelecendo um fluxo de atendimento. “Na hora da internação para realização do parto, paciente e acompanhante devem passar por uma triagem assim que chegam ao hospital. “Caso a gestante apresente algum sintoma gripal ou for diagnosticada com a Covid-19, ela precisa seguir por outro fluxo dentro do hospital, evitando assim a contaminação das demais pacientes. As maternidades precisam estar preparadas para realização desta triagem e as pacientes sintomáticas precisam ficar em local apropriado, com equipe exclusiva e em quarto privativo”, explica.

O Coren-PI segue realizando inspeções em clínicas e maternidades da rede pública e privada para verificar se há entradas específicas para pacientes com suspeita ou diagnosticadas com Covid-19, além de avaliar se há Equipamentos de Proteção Individual (EPI) suficientes e de boa qualidade.

É direito da mulher ter um acompanhante durante o parto. Neste período de pandemia esta determinação não muda. Porém, é necessário que este acompanhante fique com a paciente, desde a internação até a alta hospitalar. Não deve ser permitida a troca de acompanhantes e as visitas na maternidade.

Além disso, a equipe de profissionais dentro dos centros de parto precisa ser reduzida neste período. “O Ministério da Saúde determinou também a redução da quantidade de pessoas dentro dos centros de parto. Antigamente, tínhamos a presença de um número grande de profissionais e houve uma recomendação do órgão para evitar a aglomeração e assim reduzir os riscos de contaminação de profissionais e pacientes”, afirma a presidente do Coren-PI.

O isolamento social precisa ser respeitado pela gestante e também pelos familiares que convivem com ela. “Ainda não sabemos os efeitos da Covid-19 sobre os bebês, por isso é fundamental que as gestantes evitem ao máximo a contaminação, mantendo o isolamento social e só sair de casa em casos de extrema necessidade, como para realização de consultas e exames”, alerta Amanda Barreto.

 




  • BannerLateralSaudeEvidencias-207x114
  • e-dimensionamento-207x117