08/11/2019

Coren-PI acompanha inspeção no Hospital Getúlio Vargas (HGV)

Fiscalização acontece em decorrência da interrupção em procedimentos de transplante

Fiscalização acontece em decorrência da interrupção em procedimentos de transplante renal

Nesta terça-feira (05), o Conselho Regional de Enfermagem (Coren-PI), em conjunto com o Conselho Regional de Medicina (CRM-PI) e o Ministério Público do Piauí (MPPI), realizou uma inspeção no Hospital Getúlio Vargas (HGV). A fiscalização teve por objetivo verificar a suspensão de cirurgias de transplante renal por falta de insumos e materiais.

O procedimento foi resultado de uma audiência pública, na qual foi determinada a necessidade de verificação in loco por profissionais dos órgãos competentes. A equipe responsável pela visita foi composta pela presidente do Coren-PI, Tatiana Melo, acompanhada da fiscal Amparo Vieira; o promotor de justiça do MPPI, Eny Pontes, com o assessor, Renan Barros; o diretor-administrativo do HGV, Fernando Vasconcelos, e pela coordenadora do Centro de Nefrologia, Celina Teresa.

A presidente do Coren-PI, Tatiana Melo, aponta a união das referidas instituições na fiscalização como uma medida bem sucedida. “Esta fiscalização em conjunto é importante pelo fortalecimento das instituições, assim como por tornar o processo mais completo, pois ao ampliar o olhar sobre a situação, evita-se que falhas passem desapercebidas, o que facilmente poderia ocorrer se alguma das instituições não estivessem presentes”, declara.

Outro ponto levantando pela presidente do Coren-PI refere-se à urgência na qual tais procedimentos devem ser restabelecidos, dado o grande número de pacientes na fila de espera por transplantes renais no Piauí. “Infelizmente estamos perdendo pacientes, porque mesmo havendo a captação de órgãos para transplante dentro do Piauí, os mesmos acabam sendo direcionados a outros estados por falta de estrutura e serviço eficientes por aqui”, pontua.

Durante a visita, apurou que as equipes responsáveis pelo procedimento cirúrgico foram desfeitas e os profissionais de Enfermagem realocados em outros setores como consequência da falta de insumos e materiais para a realização dos transplantes. No entanto, também foi constatado que o hospital já começa a reposicionar os profissionais suas devidas funções. Quanto a ausência de insumos, a direção do HGV afirma que já existem recursos para o reabastecimento de materiais a serem liberados nas próximas semanas.

Com informações do MP-PI

 

 

 




  • BannerLateralSaudeEvidencias-207x114
  • e-dimensionamento-207x117